Você já experimentou meditar? Os benefícios desta prática são vários, por isso aqui vamos te contar as principais técnicas de meditação para que você conheça elas e pense qual se adapta mais ao seu estilo de vida. Se anime!

A meditação é uma prática muito antiga, especialmente desenvolvida nos países do Oriente. Tantos são seus benefícios e a simplicidade de sua prática, que se estendeu aos países ocidentais. Eles já o aplicam em alguns colégios, nas áreas de trabalho e da saúde, e aqueles que o recomendam estão expandindo e aperfeiçoando sua prática.

Ads


Neste artigo vamos te contar as principais técnicas de meditação para que você conheça elas e pense qual se adapta mais ao seu estilo de vida.

Que benefícios traz meditar?

Alguns dos benefícios da prática da meditação são:

1. Diminui o estresse e a ansiedade, potencializa a serenidade interior;

2. Favorece os processos de autoconhecimento e reflexão;

3. Tem efeitos benéficos na saúde e no sistema imunológico em geral. Aumenta a tolerância a dor;

Ads

4. Ajuda a manter o foco na atenção e fortalece a memória;

5. Facilita a comunicação e os processos de empatia com as pessoas;

6. Exalta o otimismo, diminui a visão negativa sobre as situações.

Não importa o motivo que te leve a essa prática, você sabe que os benefícios serão múltiplos. Aqui lhes falamos sobre os diferentes tipos de meditação, para que você possa pensar qual se adapta mais ao seu estilo de vida.

Ads


Quais são os 5 tipos de meditação que recomendamos?

1. Meditação Budista - Meditação Zen: Às vezes, quando falamos de meditação, imaginamos uma pessoa sentada de pernas cruzadas à sua frente, os dedos das mãos fazendo uma posição de Mudra (polegar e indicador se tocando) e os olhos meio fechados. Zazen significa "meditar sentado" em japonês. O que chamamos de posição de lótus.

É o método mais conhecido e trata-se de manter a mente em branco e focada no momento atual. Sentir a respiração e descartar toda imagem ou pensamento que apareça em nossa mente. Segundo Buda, o problema dos homens não é saber como separar sua mente. Esta é uma ferramenta muito valiosa, mas só isso, e não devemos deixá-la livre, por isso não devemos ser seus escravos. Manter a mente em branco, no presente, parece simples de dizer, mas é muito difícil de alcançar. Isso requer muita prática, e chegar a se manter cinco minutos é realmente uma grande conquista para um iniciante.


Ads

O Zazen é uma prática que pode modificar radicalmente nosso bem-estar espiritual. O budismo é considerado uma consequência do Zazen, da meditação do Buda. A respiração deve se concentrar no ventre, não no nariz. É comum melhorar a técnica contando nossas inspirações e expirações.


Ads

2. Meditação Vipassana: É a meditação que utiliza a corrente ocidental da Mindfullness, e consiste em tomar consciência de nossa respiração nasal, ver as coisas como elas são e permanecer no presente. Ao limitar-se a observar os pensamentos sem processá-los, você tenta se separar de suas conotações emocionais.

3. Meditação transcendental: Baseia-se em Mantras (sons) que devem ser repetidos para ajudar a esvaziar nossa mente de outros pensamentos. Tem sua origem na Índia e cada pessoa deve encontrar seu próprio Mantra. Esta meditação não está relacionada com nenhuma religião, e acredita-se que atualmente é uma prática realizada por mais de 15 milhões de pessoas no mundo. É aconselhável dividir sua prática em duas sessões de 15 a 20 minutos cada. Em uma posição confortável, sem interrupções.

Ads


4. Meditação Kundalini: No hinduísmo, a energia da Kundalini é representada simbolicamente por uma cobra que dorme na região do primeiro chakra, na base da coluna. Se esta energia é ativada, leva a processos de iluminação. A meditação inclui técnicas de respiração, cantos, posições de ioga.

5. Meditação Sonora Primordial: Baseia-se na repetição de mantras, que vêm da tradição hindu. É uma frase ou palavra ou sílaba que se repete apoiando a meditação. Na religião cristã é o equivalente da oração do rosário. Pode ser repetida em voz alta ou em silêncio, e ajuda a encontrar a calma. Ajuda a organizar a meditação para pessoas que costumam dispersar seu pensamento.